«Fiz de tudo para ajudar a formação do Beira-Mar»

Paulo Matos, ex. treinador dos juniores do SC Beira-Mar, explica ao DesportoAveiro as razões da sua saída e faz o rescaldo de quase dois anos no clube auri-negro. 

Porque razão decidiste sair do SC Beira-Mar?

A razão de sair do Beira Mar deve-se, sobretudo, a motivos familiares e profissionais. Ao longo destes dois anos, deixei muita coisa para trás, vivia vinte e quatro horas para o Beira-Mar, passei muito pouco tempo com a família e amigos e não me dediquei totalmente à minha empresa. Está na altura de sair, acho que o clube está muito melhor neste momento, e não necessita tanto da minha intervenção, e o meu foco agora, vai ser a família e a minha empresa.

Que balanço é que fazes destes quase dois anos no SC Beira-Mar?

O balanço é bastante positivo. No primeiro ano, ainda SAD, com os juniores «A» fomos à fase de subida, este segundo ano foi tudo mais difícil mas bastante positivo, pois começámos com quase nada. Sem estádio, sem jogadores, sem bolas, basicamente sem nada, foi a altura de «agarrar o touro pelos cornos», desculpem a expressão, mas foi a realidade. Comecei a recuperação do Estádio Mário Duarte com uma dúzia de heróis e conseguimos aquilo que está a vista de todos. Comecei a época a treinar seniores, juniores, durante este tempo todo que lá estive, cheguei a fazer jogos e a treinar vários escalões, desde juvenis, iniciados, infantis, fiz de tudo para ajudar a nossa formação. Criei um departamento de estudo, um departamento de psicologia, um gabinete médico, sem qualquer recurso, por isso, só posso me sentir orgulhoso pelos dois anos passados no meu grande clube.

No início deste época apontava a subida à 1ª divisão nacional como objectivo, mas a verdade é que a equipa está com dificuldades em manter-se na 2ª divisão. O que correu mal?

No inicio da época referi a subida como prioridade, mas ao longo da época apercebi-me que não seria possível, pois neste clube entendemos que o foco é o melhor para o clube, a necessidade de na primeira volta os seniores necessitarem de alguns treinadores, assim como atletas juniores, visto que não tinham muitos jogadores,e algumas lesões graves de alguns jogadores influentes foi algo que condicionou, mas não é desculpa, pois deveríamos ter feito melhor, mas a responsabilidade será sempre minha e não dos meus heróis jogadores e treinadores.

Qual foi a reacção dos directores do clube ao seu pedido para sair?

Os responsáveis directivos ficaram tristes , pois apoiaram-me sempre, acreditaram sempre em mim, gostava de agradecer a todos por terem acreditado em mim, e por acharem que seria um treinador modelo para a formação. Obrigado por tudo.

11040962_941079669247137_240576740770069916_n

A equipa venceu este fim de semana o Marinha por 4-0. Achas que estão reunidas as condições para o Beira-Mar garantir a manutenção nos «nacionais»?

Claro que acho, até porque neste momento estão acima da linha de água, só depende deles, a recuperação de alguns jogadores influentes vai fazer esta equipa mais forte. Eles sabem o que penso deles, verdadeiros heróis. Começar a treinar por volta das 21:15 e chegar a casa perto das 00:00, não é para todos, é preciso amar o Beira e isso eu tenho a certeza que eles amam. Uma equipa com uma força indescritível, e com treinadores de top: Paulo Esgueirão, o meu tutor, Pedro Neto, grande adjunto, o melhor treinador guarda-redes, Luís Simões, e o melhor director que conheci, Armando Rodrigues, tenho a certeza que vão fazer um excelente trabalho, e vão-se manter no Campeonato Nacional.

Queres deixar alguma mensagem aos adeptos?

Claro que sim! Os adeptos do Beira são diferentes, lutam sempre pelo clube, seja em que situação for e tenho a certeza que vão continuar a apoiar a equipa junior. O grande Artur Cruz, líder dos Auri-Negros, de certeza que estará lá a motivar os nossos rapazes. Gostaria de agradecer a algumas pessoas que estiveram comigo nesta luta: Hugo Coelho, Diogo Portas, Tó Leite, Antony Silva, Armando Rodrigues, Fátima Rocha, Luis Simões, Pedro Neto, Nuno Quintaneiro, Fernando Costa, José Guilherme, todos os treinadores, directores e staff da formação, verdadeiros heróis, não desistam, lutem sempre pelo nosso Beira. Beira sempre!