«Não podia dizer que não ao convite do Oliveira do Bairro»

Sérgio Pereira, treinador dos Benjamins A e Iniciados e coordenador do futebol de onze do Oliveira do Bairro SC, em entrevista exclusiva ao DesportoAveiro. 
Ainda que a época não tenha acabado, já é possível fazer um balanço da mesma?
Nos iniciados, é difícil fazer um balanço neste momento visto que a nossa época ainda está numa fase decisiva, mas fazendo a analise possível neste momento, acho que a nossa equipa está a fazer uma época dentro do esperado, pois a base da nossa equipa é de primeiro ano e teve a dificuldade da transição do futebol de 7 para o futebol de 11. Tivemos também algumas lesões prolongadas em elementos fundamentais que atrasaram a evolução do nosso jogo, mas estamos neste momento a assentar um processo de treino e um modelo de jogo mais consistente com o valor destes atletas.
Nos Benjamins A, outro projecto onde estou inserido, tivemos de começar do zero pois depois da saída do anterior técnico, deu-se uma debandada de atletas para outros clubes da região, nada que me tenha assustado e algo que me motivou ainda mais. Depois de muito trabalho, conseguimos ser campeões de Serie e de momento estarmos a discutir a Serie Premium com as outras 9 melhores equipas do distrito. Foi uma evolução de jogo para jogo e uma mentalidade de campeão que nunca deixou esta equipa.
No âmbito da coordenação técnica de futebol 11, é uma experiência nova para mim mas muito motivante e enriquecedora. Estamos no caminho certo, com processos de treino mais completos, devido a qualidade dos nossos treinadores, o que vai trazer a curto prazo os seus dividendos.
Ao afirmar que a sua equipa de iniciados tem muitos atletas de primeiro ano, pretende dizer que na próxima época poderá lutar pela subida ao campeonato nacional?
Um objectivo de cada vez, portanto, neste momento teremos de garantir a manutenção na 1ª divisão distrital, depois disso, a melhor classificação possível.
Na próxima época pensaremos jogo a jogo, sempre com a mesma ambição, mas sabemos que precisamos trabalhar todos os dias no limite, com humildade e sobretudo com a mentalidade certa e depois, se pudermos juntar a isso a subida ao Nacional da categoria e o respectivo titulo distrital, melhor ainda, pois o Oliveira do Bairro SC merece.
Fale-nos do seu percurso como treinador.
Tirei o curso quando ainda jogava futebol, ainda muito novo, pois o treino sempre me motivou e fascinou. Comecei a treinar na FIDEC, no escalão de Iniciados, na época 2006/07 com apenas 25 anos, mas nas duas épocas seguintes, após um convite do SL Benfica, dediquei-me apenas ao «scouting» mas tive de abandonar durante três épocas pois a minha actividade profissional na altura não me permitia dedicar o tempo que eu achava necessário para efectuar um bom trabalho. Entre esse tempo tive vários convites mas não pude aceitar, até que profissionalmente a minha vida mudou, passei a dispôr de mais tempo e voltaram a aparecer vários convites e decidi aceitar a proposta da AD Taboeira onde trabalhei nos Juvenis. Na época seguinte trabalhei nos Iniciados da AD Oiã, onde disputámos a 1ª divisão distrital e começou também nesse ano a minha colaboração com FC Porto no «scouting». Na época passada, estive no SC Vista Alegre, clube onde treinei os juvenis e colaborei com os seniores. Este ano não podia dizer não ao Oliveira do Bairro SC, pela sua grandeza, pela sua ambição e pelo potencial que o clube, a cidade e o concelho têm, visto que também resido no mesmo.
Como analisa o estado do futebol de formação na região de Aveiro?,
Tendo um conhecimento profundo do futebol formação do distrito, devo dizer que estamos no topo, ombreamos com os melhores, tendo por vezes menos condições. Aveiro é um «viveiro» de talentos e os clubes grandes sabem isso. Recentemente, tenho tentado participar com as minhas equipas em torneios realizados fora do distrito para perceber, observar e comparar diferentes métodos de trabalho e cada vez mais tenho a certeza que estamos no bom caminho. Por todos estes motivos, deixem-me aqui dizer que fiquei surpreso com a não convocação de nenhum atleta sub-15 das equipas de Aveiro, para o recente estágio da Selecção Nacional na inauguração da cidade do futebol. Foi injusto pois havia e há mais que um atleta capaz de ir à selecção nos vários clubes aveirenses.
Treinar uma equipa sénior faz parte dos seus objectivos?
Eu gosto é de treinar, independente do escalão e quando recebo um convite penso sempre muito bem sobre o mesmo e vejo os prós e contras do mesmo antes de aceitar, mas, sinceramente neste momento estou focado no Oliveira do Bairro SC, portanto, se o meu objectivo algum dia passar por treinar seniores será aqui no clube que represento pois é o topo da pirâmide. Acho normal e legitimo pensar assim, mas no futebol tudo é efémero!
Que importância tem para o futebol de formação o destaque que o DesportoAveiro lhe tem vindo a dar?
Sou leitor assíduo e só tenho de dar os parabéns pela iniciativa e pelo destaque dado ao futebol formação. Um bem haja ao DesportoAveiro pela promoção do mais «verdadeiro» futebol que existe, o futebol de formação, onde todos os sonhos ainda estão presentes, onde existe alegria de jogar pelo jogar, onde fazemos e criamos amizades para vida.