E quando Ariston Filho se tornou numa verdadeira estrela da cidade de Aveiro?

Decorria o ano de 1988 e A Bola Magazine publicava um artigo sobre o Distrito de Aveiro, mais concretamente do seu enorme potencial desportivo.

As proezas do Galitos no remo, bem como as dificuldades em treinar em águas que na altura eram bem mais poluídas do que hoje, mas também modalidades como o atletismo e o boxe eram destacados neste número.

O SC Beira-Mar, por ter na altura equipas bem competitivas de futebol e de basquetebol, mereceu, como seria de esperar, o maior destaque da reportagem.

NA foto que aqui publicamos, surgem o «central» João Paulo, atleta que fez o seu percurso de formação no SC Beira-Mar até chegar aos seniores (trabalha hoje no FC Bom Sucesso como treinador), tendo ao seu lado o basquetebolista brasileiro, Aristo Filho, e um remador do Galitos que, infelizmente, não conseguimos descortinar. As nossas desculpas por isso.

E que dizer de Ariston?

É verdade que Ariston jogou noutros clubes da cidade e da região (Clube dos Galitos, Illiabum Clube) e que acabou por se radicar em Ílhavo, mas foi no SC Beira-Mar, no auge da modalidade, que se tornou numa verdadeira estrela, numa verdadeira estrela da cidade. A sua popularidade era incrível, talvez só igualada ou superada pelo falecido norte-americano Purvis Miller.

Ariston era reconhecido por todos em Aveiro. Pelas crianças, pelos idosos. Os adeptos idolatravam-no.

O SC Beira-Mar «enchia» o Mário Duarte» mas grande parte dos adeptos beiramarenses, mal terminava o futebol, dirigiam-se em excursão para o «Alboi» porque não queriam perder o basquetebol! E que craques passaram por ali com a camisola amarela: o gigante Bill Preading, os norte-americanos Kenneth Wilson, Kevin Sprewer, DJ (que tinha brilhado na AD Ovarense), Fred MgGuee e ainda os portugueses Pedro Rebelo, Fernando Catarino, Alexandre Pires, Rui Pedro Nazário, entre muitos, muitos outros.

Bons tempos estes para recordar em tempos de quarentena!