«Aveiro tem excelentes árbitros»

Tiago Santos, árbitro do Conselho de Disciplina da Associação de Futebol de Aveiro, entrevista exclusiva ao DesportoAveiro. 

Como é que entrou para a arbitragem?
Começo por agradecer ao DesportoAveiro o convite para esta entrevista e ao Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol de Aveiro por ter autorizado a mesma.  
Sempre fui um apaixonado por futebol. Joguei até aos juvenis como atleta federado no Porto e o futebol sempre foi o meu desporto de eleição.
Mas, sempre houve uma vertente no futebol que nunca me passou ao lado, a justiça.
Sempre olhei para o futebol como um desporto viciante, com lances bonitos, jogadas fantásticas e golos que fazem levantar o estádio, mas infelizmente a maior parte dos adeptos discute mais os erros de arbitragem do que o futebol em si.
Decidi tirar o curso de árbitro em 2011 porque sempre apreciei a justiça e a transparência dos resultados, queria fazer parte dessa justiça e dessa transparência para que no fim, o vencedor fosse um justo vencedor.
Quais são os seus objectivos de carreira enquanto árbitro?
O objectivo de qualquer árbitro enquanto carreira é chegar aos maiores palcos, subir de divisão, chegar ao nível maior da arbitragem mundial.
Não escondo que já tive em mente esse objectivo, o de subir aos nacionais, o de apitar na 1ª Liga.
Infelizmente (para mim) a progressão da carreira de um árbitro é muito condicionada pela sua idade.
Existem limites de idade para se subir aos nacionais, para se subir aos campeonatos profissionais e para se chegar a árbitro FIFA
No meu caso em concreto, como já entrei muito tarde para a arbitragem e comecei na categoria mais baixa, tive apenas duas oportunidades para chegar aos nacionais e no meio de tanta competitividade que existe entre candidatos às subidas aos nacionais, acabei por não conseguir a tão desejada subida.
Neste momento cheguei ao topo da minha carreira e tenho um papel mais formativo na arbitragem. Coloco jovens árbitros na minha equipa para que depois eles formem a sua própria equipa e subam na carreira.
Até à data qual o jogo, ou jogos que o marcaram?
Podia escolher imensos jogos. Existem mesmo muitos que podiam figurar nesta resposta, porque no meio de milhares de jogos realizados, existem muitos que nos marcam.
Vou escolher um jogo que me marcou, jogo que decorreu esta época no Campeonato Distrital de Iniciados da AFA, o jogo entre o CD Tarei e o FC Macieirense.
O jogo em si não teve nenhum motivo de realce, mas por vezes é nestes jogos que conseguimos a união, o espírito de equipa e que conhecemos as pessoas que a partir daquele momento sabemos que vão estar para sempre connosco.
O jogo realizou-se de manhã, e de tarde tínhamos um jogo importante do Campeonato Sabseg, um derby que se ia realizar à porta fechada entre duas equipas que lutavam por objectivos diferentes, uma lutava pela subida e a outra lutava pela manutenção.
Como define o momento da arbitragem em Aveiro?
Sinceramente, acho que Aveiro tem excelentes árbitros.
Árbitros que ambicionam chegar longe na carreira, que querem pisar grandes palcos, que querem (tal como eu) que o futebol seja um desporto justo no que diz respeito à aplicação correcta das Leis de Jogo.
Ao contrário do que muita gente pensa, ser árbitro já não é pegar no saco ao fim de semana e ir apitar uns jogos.
Hoje em dia os árbitros (mesmo nos distritais) são sujeitos a exames médicos, provas físicas, provas teóricas, testes psicotécnicos, cursos de inglês, observações, jogos que são transmitidos na AFATV…
Existe muito mais exigência por parte do Conselho de Arbitragem da AFA  e da FPF e os árbitros de hoje preparam-se a sério para responderem a esse nível de exigência.
O campeonato dos árbitros (sim, os árbitros também têm uma classificação) é extremamente competitivo e isso obriga a que todos sejam cada vez melhores.
E a nível nacional?  
Se em termos distritais se exige cada vez mais dos árbitros, a nível nacional a fasquia é muito mais elevada.
Os árbitros que fazem jogos das Ligas profissionais são também eles profissionais e estão constantemente sobre o escrutínio do publico em geral e da imprensa.
Embora no inicio estivesse tendencialmente desfavorável à utilização da tecnologia VAR, neste momento concordo que veio ajudar a repor a correcta aplicação das leis de jogo e com isso trazer mais verdade ao futebol.
Tal como acontece com vários treinadores portugueses, Portugal também está muito bem servido e muito bem representado em termos internacionais no que diz respeito a árbitros.
Tem algum árbitro que seja para si uma referência?
Acho que todos os árbitros têm um árbitro com o qual se identificam e eu não sou excepção.
Não elejo o Artur Soares Dias só porque temos uma relação profissional fora da arbitragem, mas também porque para mim é sem dúvida um dos melhores árbitros portugueses de sempre e representa muito bem Portugal nos jogos internacionais para os quais é nomeado.
Agradeço mais uma vez o convite e desejo todas as felicidades e continuação deste bom trabalho no sentido de divulgar o Desporto de Aveiro.